Quais vacinas que a criança de 2 a 6 anos deve tomar?

julho 8, 2016 0
90-1200x486.jpg

DTP (difteria, tétano e coqueluche) – 5ª dose :

 

Protege contra Difteria (crupe), Tétano e Coqueluche (tosse comprida). É constituída por uma combinação das toxinas inativadas do tétano e da difteria e da bactéria da coqueluche inativada (vacina de célula inteira ou DTP) ou de produtos purificados dessa bactéria (vacina acelular ou DTPa). Com a DTP, disponível no sistema público, são mais frequentes alguns efeitos adversos após a aplicação, tais como febre alta e dor. Já na forma acelular (DTPa), disponível no sistema privado, essas reações costumam ser mais brandas e menos frequentes. A quinta dose deve ser dada entre 4 e 6 anos de idade. No sistema público a criança recebe a vacina DTP. No sistema privado a criança pode receber essa quinta dose numa vacina combinada com a Poliomielite inativada (DTPaIPV ou dTpaIPV) ou receber separadamente a vacina DTPa.

 

 

 

Pólio oral ou Pólio inativada – 5ª dose

 

Protege contra a Poliomielite ou paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Pólio Oral, constituída pelo vírus da Poliomielite vivo e enfraquecido, e a vacina contendo o vírus da Poliomielite inativado (IPV), injetável. A quinta dose deve ser dada entre 4 e 6 anos de idade. No sistema público a criança recebe a vacina Pólio Oral. No sistema privado a criança pode receber essa quinta dose numa vacina combinada com a proteção para difteria, tétano e coqueluche (DTPaIPV ou dTpaIPV), ou receber separadamente IPV ou Pólio Oral. Independentemente dessa dose as crianças devem receber reforços durante as campanhas anuais contra a paralisia infantil do Ministério da Saúde.

 

 

 

Influenza ou Gripe – reforço anual

 

Protege contra o Vírus Influenza, responsável pela gripe, que pode causar pneumonia grave, sobretudo nos bebês, idosos e grávidas. Como esse vírus sofre mutações com muita frequência, a vacina necessita que sua composição seja modificada todos os anos e por isso precisa ser repetida anualmente. É constituída por frações do Vírus Influenza inativado. Esse reforço anual deve ser administrado antecedendo o período de maior circulação desse vírus (inverno).

 

 

 

Meningocócica ACW135Y – 2ª dose

 

Amplia a proteção contra outros Meningococos (A, W135 e Y) além do tipo C, que estão entre as bactérias que mais causam meningite e que tem grande capacidade de propagação entre indivíduos. A vacina é feita de componentes da parede dessas bactérias. O reforço nessa idade é importante para tentar manter níveis de anticorpos protetores adequados para proteção contra esses Meningococos. Essa dose deve ser dada entre 4 e 6 anos de idade. Não está disponível no sistema público. Observação importante: O Pediatra deverá ser consultado sobre possíveis contraindicações das vacinas.



Tel.:+55 11 4302.6330
Email: contato@lilianzaboto.com.br.br
CRM: 90973
Copyright 2016

Desenvolvido por:
Supernovva Digital

Curta no Facebook

Facebook Pagelike Widget